Os Melhores Anos das Nossas Vidas

by Nosso Querido Figueiredo

/
  • Streaming + Download

    Includes high-quality download in MP3, FLAC and more. Paying supporters also get unlimited streaming via the free Bandcamp app.
    Purchasable with gift card

      name your price

     

1.
03:11
2.
07:48
3.
06:54
4.
08:30
5.
04:40
6.
7.
8.

about

Esse é meu álbum número quarenta e poucos ou cinquenta, já perdi as contas há algum tempo. São oito canções inéditas, contaminadas pelos nefastos vapores que intoxicam o Brasil, onde eu toco sintetizadores à moda Brian Eno, canto com auxílio de AutoTune em algumas faixas, programo uma orquestra sintética aqui e ali.

O álbum tem um tradicional hino protestante do século XIX e termina com ruídos vindos de um abismo inominável. Essas são as canções de uma pessoa cansada, confusa e desiludida. Comecei a fazer música em 2008 e, naquela época, me sentia irado, confuso e iludido. As ilusões se foram e eu perdi a raiva. Têm sido cansaço, confusão e desilusão os motores dos meus últimos trabalhos – ouvir Juventude (2017) e Eu Não Estou Em Sintonia (2015). Por acaso alguém achou que eu conseguiria fugir disso? (E justamente AGORA?)

Toda vez que finalizo um disco, acabo entrando em pânico porque tenho a impressão de que nunca mais conseguirei gravar coisa alguma. Depois fico mais tranquilo porque ninguém espera nada de mim. Depois entro em pânico de novo – justamente porque ninguém espera nada de mim. Aí gravo uma música nova. (E se alguém estiver esperando?)

Paciência. Eu não sou a Taylor Swift, apenas um Sísifo que escolheu a própria rocha: gravar ao menos um disco por ano ao longo de toda a eternidade. Eu não consigo parar de escrever canções. Dentro da minha cabeça roça uma lixa no cérebro e de vez em quando a fricção parece música. Minha discografia é maior que a do David Bowie. Uma hora ou outra eu arremato um Ziggy Stardust. (I’m not gonna talk about Judy.)

Matheus Borges
(Nosso Querido Figueiredo)

credits

released March 14, 2019

Escrito e produzido por
Matheus Borges

A introdução de "Noites" é "Nearer, My God, to Thee", composta por Sarah Flower Adams.

license

all rights reserved

tags

about

Nosso Querido Figueiredo Porto Alegre, Brazil

Figueiredo iniciou sua jornada em 2008. Desde então, gravou dezenas de álbuns caseiros.
Mande um olá:
nossoqueridofigueiredo@gmail.com

contact / help

Contact Nosso Querido Figueiredo

Streaming and
Download help

Track Name: Noites
noites mal dormidas
pensando em tanta coisa
imaginando se você
se preocupa também
mas o que você pensa
não é da conta de ninguém

noites mal dormidas
noites ingratas
em claro
sob as lâmpadas
de postes
vozes em rádios
e televisores
mulheres
homens
sólidos
vapores
Track Name: Mais Nada
você está aí deitado
e recebe uma mensagem:
"esse mundo acabou
dele não resta mais nada"

você fica aí deitado
e quer fazer alguma coisa
a respeito dessse fim
mas logo se dá conta
que é melhor ficar deitado
esperando a vontade

ir embora pra bem longe
longe mesmo de verdade
esperando a vontade
ir embora pra bem longe

mas tem gente lá na rua
matando por muito pouco
e gente que tá morrendo
por ainda muito menos

mas tem gente lá na rua
matando por muito pouco
e gente que tá morrendo
por ainda muito menos

gente jovem vira lixo
em cantos de celas tristes
nos quartos de hospital
nas pedras e nas calçadas

de avenidas muito largas
de avenidas muito largas
de avenidas muito largas
de avenidas muito largas

tem gente que tá gritando
enviando uma mensagem
e gente que só recebe
duas, três dizendo assim:

"esse mundo acabou
dele não resta mais nada"
"esse mundo acabou
dele não resta mais nada"

você sente o cutuco
e não se entrega assim
acha que vai ficar bem
tomando uma cerveja
e fumando um cigarro
comendo um sanduíche
que entala na garganta
sua voz já te escapa

e você não entende
o que é que te falta
e você não entende
o que é que te falta

você bate uma punheta
ao pensar na liberdade
o prazer de culpa e dor
que você nem sente mais
é falso e já passou
do prazo de validade

aí se vira de desgosto
ao pensar em tanta gente
que daria tudo até
antebraço e cotovelo
para estar no seu lugar
para ter o seu cabelo

você pensa no suplício
genocídio de verdade
alguém é assassinado
por ter nascido errado
às vistas de alguém que
escolhe o bom e o ruim

você se importa com
o que acham que você é
você tem a pele certa
o jeito certo e não quer
se envolver no que não é
da sua conta e nem vai ser

os seus olhos certos veem
mas você não crê:
esse mundo acabou
dele não resta mais nada
Track Name: Respira
hoje eu vi flores
ouvi fogos
hoje eu vi você
atravessar minha rua
cabeça baixa
em silêncio
e não tive tempo
de perguntar
onde você vai?
onde você foi?
tem coisas
que é melhor não saber

eu te vi num táxi
fugindo do azar
a cidade explodiu
em comemoração
mas você
não quer celebrar
não quer compartilhar
dessa alegria envenenada
que parece tomar conta do ar

faz tempo que a gente respira
ódio gasoso e mentira

faz tempo que a gente se afasta
quando na verdade devia
se aproximar
faz tempo que a gente caminha
num cemitério a céu aberto
a gente se perdeu
do caminho certo
e só nos resta o erro
só nos resta observar
até quando conseguimos errar
e depois esquecer os erros

pra onde você vai?
de onde você vem?
faz tempo que a gente respira
ódio gasoso e mentira

hoje eu não vi nada
não vi ninguém
nem vi você sumir
pra onde você foi?
de onde você veio?
Track Name: Segurança
você me ouviu conversar
eu tinha um belo celular
cartões e contas pra pagar
não sei o que me deu pr'andar
com armas, escudos, katanas

mas eu não vou me entregar
mas eu não vou me entregar
aos homens hediondos de índole má
aos homens hediondos de índole má

seguro eu rumo ao lado de lá
sem rumo sem contas nem celular
confuso me deixo aproximar
caminho noturno a se afunilar
perdido nas ruas perto do cais

mas eu não vou me entregar
mas eu não vou me entregar
às sombras e às dobras do azar
às sombras e às dobras do azar

lampejos, relâmpagos, temporais
sirenes, polícia e jornais
cigarros e crimes passionais
incêndios querem me abraçar
nas cinzas, os homens de índole má

mas eu não vou me entregar
mas eu não vou me entregar
às pestes malditas da cor de âmbar
às pestes malditas da cor de âmbar

projéteis rompendo a barreira do som
cortando o ar na minha direção
é ferro nas veias e no coração
sombras me abraçam, me tiram do chão
me elevam na névoa e em contramão
não vejo milagres, somente ambição
eu vejo ameaças rondam cidadãos
um mundo violento desde a criação
quero segurança a caminho do chão
quero segurança a caminho do chão
quero segurança a caminho do chão
quero segurança a caminho do chão
Track Name: Arde
giordano bruno arde
na fogueira arde
ardem cabelos
arde sua cara e eu
tenho na mão
um extintor
um extintor de incêndio
novinho em folha
que ainda não usei

a biblioteca arde
em alexandria
ardem livros
a sabedoria arde e eu
sou motorista
do caminhão
do caminhão de bombeiro
eu ligo a sirene
e corro
apago o fogo
depois eu corro
enquanto arde

arde joana d'arc
arde joana arde
sua espada
arde seu escudo arde
arde seu rosto
arde tudo e eu
eu tenho um balde
um balde cheio d'água
para apagar o fogo
eu tenho um balde
e não vou me deixar
intimidar pelas chamas
que agora ardem
e tudo arde

atlanta o vento leva
arde roma
arde o edifício joelma
arde pompeia
e o museu nacional
ardem florestas
na califórnia
e em portugal
arde, arde
tudo arde
Track Name: Quando a gente
quando a gente
pensa demais
na gente a gente
esquece dos outros
quando a gente
pensa demais
nos outros a gente
esquece da gente

quando a gente
pensa demais
a gente esquece
o que é fazer
quando a gente
faz demais
a gente esquece
de não fazer
quando a gente não faz
aparece outro pra fazer
e a gente esquece
que não fez

quando a gente
fala demais
a gente esquece
o que é silêncio
quando a gente
fica calado
a gente esquece
o que é falar

quando a gente
planeja demais
a gente esquece
o que é conquistar
quando a gente
conquista demais
a gente esquece
o que é se frustrar
quando a gente
se frustra demais
a gente esquece
o que é vencer
quando a gente
vence demais
a gente esquece
o que é perder

quando a gente
perde demais
a gente esquece
de viver
quanto mais
a gente vive
mais a gente
vai esquecer

quando a gente
esquece demais
depois não tem
o que lembrar
quando a gente
lembra demais
é imensa a dor
que a gente sente
Track Name: Era tão lindo
você lembra como era lindo?
era tão lindo
você não quis nem tocar
Track Name: Enquanto você dormia
enquanto você dormia
eu tive uma visão
alguém arrombava a porta
e levava a televisão
eu era levado junto
e posto num furgão
reposto por uma cópia
esvaziada de emoção

enquanto você dormia
a cópia teve uma visão
me viu amarrado e sangrando
esvaziado de emoção
iguais a cópia e eu
vazios de emoção
não havia mais nada
nem mesmo televisão

enquanto você dormia
levaram seus anéis
joias preciosas
herança e papéis
levaram suas coisas
e as minhas também
deixaram-te a cama
e nada além

enquanto você dormia
você teve um sonho ruim
seres brutos sem rosto
assustando a você e a mim

não
não dá mais
você
não quer acordar
pois esse sonho ruim
está em todo lugar

enquanto você dormia
eu tive uma visão
eu abria a porta
e me deitava no colchão

If you like Nosso Querido Figueiredo, you may also like: